Papo da vez: Chapéu Feminino

chapéu (vocábulo que deriva do francês antigo chapel, atual chapeau) é um item do vestuário, com inúmeros variantes, que tem a função principal de proteger ou enfeitar a cabeça.

Várias palavras estão relacionadas ao chapéu e seu uso, confecção e tipos. Chapeleiro é aquele que confecciona o chapéu, ao passo que a chapelaria é o local onde este é feito ou vendido. Já chapeleira é a caixa onde o mesmo é acondicionado. O hábito antigo de saudar alguém tirando-se o chapéu era denominado chapelada.

Nas casas, no comércio e em repartições públicas até meados do século XX o porta-chapéus era um móvel presente e indispensável – uma vez que as regras de etiqueta não permitiam o uso do adereço em lugares cobertos.

Copa é a parte superior do ornamento, cujo lado interno tem a boca, ao passo que aba é o rebordo proeminente, externo. Na parte interna tem-se o forro e acarneira; são ainda partes do chapéu a faixa e a pala, respectivamente a faixa externa e o “corpo” da aba. Muitos formatos, entretanto, não possuem esses componentes.

Depois de algumas informações sobre a história do chapéu, vamos agora falar sobre eles: os lindos, cheios de charme e audaciosos chapéus femininos!!

Os chapéus femininos evoluíram de forma diferente, dos modelos masculinos. Na Idade Média (476-1453), as imposições religiosas obrigavam as mulheres a cobrir completamente os cabelos, eram constituído por uma peça de linho, caída sobre os ombros ou abaixo deles. No século XIII, costumava-se prender a um véu, duas faixas: uma sobre o queixo e outra sobre a testa, de modo semelhante ao hábito que as freiras ainda conservam. No final da Idade Média, era hábito das mulheres colocar uma armação de arame com formatos de coração, borboleta, etc sob a peça de tecido tornando-os extravagantes. Os cabelos eram penteados para trás, escondidos, e, se cresciam na testa, eram raspados para que o chapéu fosse a atração principal. Em 1500 começa-se a usar os capuzes enfeitados com jóias e bordados. Muitos outros tipos surgiram até o final do século XVIII, quando apareceram as primeiras Chapelarias (lojas onde se comercializam chapéus), que utilizavam em seus chapéus materiais como a palha, o feltro, tecidos, enfeites variados e elaborados de forma a combinar com os penteados altamente sofisticados da época. Após a Revolução Francesa (1800), surgiram os gorros com abas largas, dotados de uma fita ou faixa que dava um nó abaixo do queixo. Confeccionados com materiais diversos (peles, cetim, veludo, feltro para o inverno e palha e tecidos finos para o verão) eram enfeitados com plumas e outros tipos de adornos. Em 1860, esses gorros foram substituídos por chapéus de tecido e/ou outros materiais que eram presos à cabeça com alfinetes ou grampos, vindo esse tipo a se tornar muito popular na época. No início do século XX os volumosos penteados da época originaram chapéus de grandes dimensões, que cobriam os penteados.

Enfim, hoje o chapéu é um item mais do que atual na hora de montar um conjunto chic e com estilo de sobra, enganam-se aqueles que acham que os chapéus devem ser usados em ocasiões específicas, como num dia de sol na praia ou algum casamento ao dia, não se deixem enganar por “regras” Embelecidas, usem e abusem do chapéu em vários looks, é que vamos mostrar aqui nas nossas imagens, garanto que após esse Post vocês não resistiram a beleza de uma montagem de roupa usando esse acessório, e claro não deixem nunca de arriscar, vamos lá! Fiquem agora cheias de Estro!! 😉chapeuu

Por: Lorena Naiane

Fotos: Reprodução

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s